Portal NippoBrasil - OnLine - 19 anos
Sexta-feira, 15 de novembro de 2019 - 1h27
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPORTES
Copa 2014
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-
Arquivo NippoBrasil - Edição 014 - 13 a 19 de agosto de 1999
 
Serra da Bocaina e Visconde de Mauá:
refúgios de inverno que esbanjam muito charme
 

(Fotos: Divulgação)

No inverno, o colorido das montanhas atrai turistas em busca de aconchego, descanso ao pé da lareira, refeições à luz de velas... É tempo de ver gente bonita que sobe a serra para aproveitar o que de melhor essas cidades têm a oferecer. Mas associar o frio às badaladas casas noturnas não é o que procuram jovens que se deslocam pela Rodovia Dutra por mais de 200 km para então percorrer 30 km em estrada de cascalho até Visconde de Mauá ou Serra da Bocaina.

Nessa época, cidades pequenas e charmosas como essas acordam preguiçosas, cobertas de gelo. Sentir o ar puríssimo, beber das águas limpas e frias que descem das montanhas e dormir próximo à lareira ajudam a refazer as forças para retornar à movimentada São Paulo. Este é o refúgio dos casais de namorados, porém os programas vão além do jantar a dois.

Tem-se a desculpa de que com o frio temos mais fome, já que na região de Mauá há o predomínio da comida mineira. Mas, além de disfarçarmos com bastante roupa, temos que nos aventurar por entre a mata em caminhadas e cavalgadas, ou mesmo passeios mais radicais para aproveitarmos a viagem. Então vamos à aventura!

 
Serra da Bocaina

A região é mais um refúgio que começa a despontar em meio a uma belíssima paisagem de difícil acesso. Carro de passeio corre o risco de ficar num atoleiro. A opção é ir com veículo de tração nas quatro rodas ou de helicóptero. A dificuldade de acesso é o fator que propicia a tranqüilidade e preservação do local numa paisagem de cartão postal. Bocaina abrange as cidades de Parati, Angra dos Reis, Bananal e São José do Barreiro.

Em São José do Barreiro, a 263 km de São Paulo, fica a sede do Parque Nacional da Serra da Bocaina. O acesso é pela cidade de Queluz. Da sede até a entrada oficial do parque são 27 km de estrada de terra em precário estado de conservação. De localização privilegiada, a Serra da Bocaina atrai os endinheirados e os que se aventuram em busca de cenários repletos de tamanduás-bandeira, antas, preguiças e aves como o sabiá, bem-te-vi, beija-flor, joão de barro, etc. As águas são límpidas e transparentes e a variedade de peixes encontrada é imensa.

Atrações

Emoção, aventura e encantamento são algumas das sensações que se vive na experiência de penetrar os 100 mil hectares do Santuário Ecológico da Serra da Bocaina, a quase dois mil metros de altitude e onde se chega por trilhas que cortam a maior reserva contínua da Mata Atlântica. Mesmo para os que só quiserem passar o dia no parque, a cachoeira de Santo Izidro é bem próxima e é possível realizar leves caminhadas por dentro da floresta. Outras opções de lazer são passeios a cavalo, turismo rural, passeios à Represa do Funil e ao Pico do Tira Chapéu.

Para quem procura uma aventura de verdade, pode desvendar a chamada Trilha do Ouro, que começa em São José do Barreiro e vai até o vilarejo de Mambucaba. Até a entrada do parque leva-se 1 hora de carro e a partir de então tem-se uma caminhada de três dias com direito a visitas a belas cachoeiras e fazendas da região.

Para os que gostam de pescar, a região é uma boa pedida.

 
Visconde de Mauá

Esta pequena vila, localizada entre o Rio de Janeiro e Minas Gerais, bem próxima a Itatiaia, é realmente encantadora. Desde os tempos hippies é considerado um lugar mágico e ainda guarda um ar meio místico. Além de muita hospitalidade e charme, conta com uma paisagem incrível. Cortadas pelo Rio Preto, as vilas de Mauá, Maringá e Maromba, que são as duas próximas, concentram um grande número de cachoeiras. Tem clima semelhante ao dos resorts alpinos e o charme de hotéis bastante comuns na Europa que começam a se espalhar pelo Brasil.

Atrações

Os destaques na região de Mauá são as cachoeiras e piscinas naturais do Rio Preto e afluentes. O ponto mais visitado é a Cachoeira do Escorrega. O Poção da Maromba é um lago formado pelas águas de uma queda de 6 m de altura.

A Cachoeira Santa Clara constitui-se de um único salto de 20 metros de altura. Mas nada de enormes quedas, saltos de grandes altitudes ou escorregadores naturais. Outra beleza natural é a Cachoeira Véu da Noiva, que possui uma altura total de 30 metros.

A Cachoeira do Alcantilado localiza-se no alto de uma montanha de 50 metros de altura. Na trilha que leva até a cachoeira existem duas piscinas naturais. O Vale das Cruzes é largo e ensolarado, formado pelo Rio das Cruzes com inúmeras piscinas naturais.

 Arquivo - Turismo Brasil
Arquivo NippoBrasil - Edição 252
• Socorro oferece diversão sem parar aos turistas
Arquivo NippoBrasil - Edição 251
• Serra Negra: saúde e diversão para toda a família
Arquivo NippoBrasil - Edição 250
• Brotas: aventura, natureza e descanso
Arquivo NippoBrasil - Edição 249
• Caldas Novas é quente
Arquivo NippoBrasil - Edição 248
• Foz do Iguaçu: natureza, tecnologia e história
Arquivo NippoBrasil - Edição 246
• Pantanal
Arquivo NippoBrasil - Edição 245
• Salvador
Arquivo NippoBrasil - Edição 241
• Camboriú
Arquivo NippoBrasil - Edição 238
• Adrenalina total!!!
Arquivo NippoBrasil - Edição 233
• Floripa ou Ilha da Magia, como também é conhecida a capital catarinense
Arquivo NippoBrasil - Edição 231
• Conheça São Paulo de Metrô
Arquivo NippoBrasil - Edição 225
• Belém: capital da fé
Arquivo NippoBrasil - Edição 224
• Litoral norte
Arquivo NippoBrasil - Edição 223
• Região dos Lagos
Arquivo NippoBrasil - Edição 221
• Paraty: diversão para toda família
Arquivo NippoBrasil - Edição 219
• Circuito Histórico de Minas Gerais
Arquivo NippoBrasil - Edição 218
• Atibaia
Arquivo NippoBrasil - Edição 217
• Foz do Iguaçu: Beleza dividida
Arquivo NippoBrasil - Edição 215
• Divirta-se nos arredores de São Paulo
Arquivo NippoBrasil - Edição 212
• Um passeio nas alturas da Serra da Mantiqueira
Arquivo NippoBrasil - Edição 210
• Onsens: Estâncias termais que garantem relaxamento e diversão
Arquivo NippoBrasil - Edição 209
• Ilha Grande
Arquivo NippoBrasil - Edição 207
• Poços de Caldas: O santuário da paz
Arquivo NippoBrasil - Edição 206
• Circuito das águas mineiro
Arquivo NippoBrasil - Edição 204
• Redescobrindo o Litoral Sul de SP
Arquivo NippoBrasil - Edição 203
• Serras Gaúchas
Arquivo NippoBrasil - Edição 201
• Socorro abre a porteira para o turismo
Arquivo NippoBrasil - Edição 200
• Circuito das águas
Arquivo NippoBrasil - Edição 198
• Santos: Muito além do Jardim
Arquivo NippoBrasil - Edição 192
• Maranhão, o segredo do Brasil
Arquivo NippoBrasil - Edição 190
• Histórias do Grande Sertão Veredas em Minas Gerais
Arquivo NippoBrasil - Edição 188
• Turismo ecológico no Rio Grande do Norte
Arquivo NippoBrasil - Edição 184
• Península de Maraú: uma delícia baiana
Arquivo NippoBrasil - Edição 180
• Pirenópolis, um pedaço do Cerrado Brasileiro

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2019 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados

334 usuários online