Portal NippoBrasil - OnLine - 19 anos
Sexta-feira, 15 de novembro de 2019 - 1h27
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPORTES
Copa 2014
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-
Arquivo NippoBrasil - Edição 044 - 17 a 23 de março de 2000
 
Foz do Iguaçu: famosa por títulos de grandeza

(Fotos: Marius Ikeda / Divulgação)

Grandes fenômenos da natureza não acontecem em qualquer lugar. Vulcões, cavernas e canyons encantam e atiçam a curiosidade de todos, e é por este motivo que Foz do Iguaçu é um dos maiores pólos de atração de turistas do Brasil inteiro. Esta cidade localizada a 637 km de Curitiba é mundialmente famosa devido à grandiosidade do espetáculo protagonizado principalmente por seus 275 saltos. Trata-se do maior conjunto de quedas d’água do planeta. Parece pouco porém quando atravessamos uma de suas passarelas. É difícil acreditar que tal espetáculo seja realmente verdadeiro.

O balé das águas com certeza é o principal atrativo desta que é a terceira cidade brasileira que mais recebe turistas. Também, são 1.2 milhão de metros cúbicos de água por segundo, deslizando por rochas de erupções vulcânicas de 120 milhões de anos. Difícil resistir ao apelo ecológico do Parque Nacional e das Cataratas do Iguaçu. O fluxo de turistas aumentou quando um americano, Alexander Schorsch criou, há sete anos, um programa chamado Macuco Safári (homenagem ao pássaro macuco, típico da região). A sua proposta: um passeio turístico de barco pelo Rio Iguaçu até a Garganta do Diabo. Hoje em dia é um sucesso e estimulou um número crescente de investidores no setor turístico.

A cidade é também um dos locais que mais valoriza o ecoturismo do Brasil. Tem sido inclusive mais visitada do que Manaus e Pantanal. O Parque Nacional do Iguaçu, área de quase 250 mil hectares em território argentino e brasileiro, é considerada por ecologistas como a única área expressiva a proteger o ecossistema de mata subtropical do sudoeste do país.

Temos aqui uma das cidades detentoras de maior quantidade de títulos mundiais de grandeza: Foz do Iguaçu. Trata-se de um lugar que gosta das grandes dimensões. Tudo ali, dando uma rápida olhada nos números, comprova a sua capacidade para o gigantismo.

 
Atrações

Assustadores e enigmáticos são os passeios em torno desta atmosfera mágica que atrai turistas de mais de cem nacionalidades. Em poucos lugares é possível realizar um passeio por debaixo de quedas d’água tão grandiosas. As Cataratas do Iguaçu são formadas pelo rio Iguaçu, que percorre 1320 km até sua foz, na cidade de Foz do Iguaçu. A 15 km antes de juntar-se ao rio Paraná, o Iguaçu vence um desnível de terreno, resultando no extraordinário fenômeno. Dentre os saltos mais bonitos está a Garganta do Diabo, com 90 m de altura que, por seu formato, lembra uma ferradura. Do lado brasileiro há um elevador panorâmico ligando a base das quedas ao nível superior do rio.

Um dos mais emocionantes passeios é o Macuco Safari, que tem início em jipes por trilhas abertas no Parque Nacional do Iguaçu, reservando surpresas indescritíveis. Então os turistas caminham por 600 metros de trilhas até o Salto do Macuco, que possui águas límpidas e cristalinas que caem de uma altura de 20 m sobre rochas, formando ducha e piscina natural. Então a aventura final é em botes infláveis que levam os turistas bem próximos do canyon das cataratas, passando pela fenda da Gruta do Diabo. A aventura também pode ser vivida do alto, em helicópteros, tendo-se visão ampla das cataratas. De cima é possível tirar a dúvoda: apesar de a maior parte das quedas estar no lado argentino, a melhor vista é no lado brasileira. O heliponto fica próximo do pé das cataratas, fzendo com que a decolagem e o pouso sejam emocionantes.

A Usina Hidrelétrica de Itaipu é a maior em funcionamento do mundo e uma das sete maravilhas da engenharia moderna. O seu reservatório tem cerca de 29 milhões de metros cúbicos de águas e, para se ter uma idéia da grandiosidade desta construção, estudos realizados indicam que todo o concreto utilizado para represar toda esta água daria para construir todos os prédios da cidade do Rio de Janeiro. O Ecomuseu de Itaipu, criado em 1987, mostra painéis fotográficos das Sete Quedas, no Rio Paraná, e materiais retirados deste como borboletas, plantas e peixes da região, como dourados, piracanjuba, piaparas, cascudos-abacaxi.

O marco das Três Fronteiras, na confluência dos rio Iguaçu e Paraná criam outra bela paisagem. Aqui é delimitada a fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina, sendo que cada um desses países construiu um obelisco de pedra e cimento com as cores das bandeiras. Integração entre países também é demonstrada através da Ponte da Amizade. São 552 metros que interligam os dois países e que já fora amplamente atravessada pelos chamados “sacoleiros”.

O Parque Nacional do Iguaçu foi criado em 10 de janeiro de 1939 e tombado em 1986 pela UNESCO como Patrimônio Natural da Humanidade, constituindo-se numa das maiores reservas florestais da América do Sul. O tipo de vegetação predominante é a mata pluvial e a mata de araucária, com a presença de palmeira, imbuía, erva-mate etc.

Para conhecer as aves da região, vá ao Parque das Aves, onde ficam expostas em viveiros cerca de 500 aves de 200 espécies diferentes. Todos os continentes estão representados no aviário.

À noite o passeios tradicional é prato cheio para os que gostam de apostar. Em Puerto Iguazú, divisa com a Argentina, está o Casino Puerto Iguazú. Refinado, é uma boa opção para quem quer brincar nas roletas ou máquinas caça-níqueis.

 Arquivo - Turismo Brasil
Arquivo NippoBrasil - Edição 252
• Socorro oferece diversão sem parar aos turistas
Arquivo NippoBrasil - Edição 251
• Serra Negra: saúde e diversão para toda a família
Arquivo NippoBrasil - Edição 250
• Brotas: aventura, natureza e descanso
Arquivo NippoBrasil - Edição 249
• Caldas Novas é quente
Arquivo NippoBrasil - Edição 248
• Foz do Iguaçu: natureza, tecnologia e história
Arquivo NippoBrasil - Edição 246
• Pantanal
Arquivo NippoBrasil - Edição 245
• Salvador
Arquivo NippoBrasil - Edição 241
• Camboriú
Arquivo NippoBrasil - Edição 238
• Adrenalina total!!!
Arquivo NippoBrasil - Edição 233
• Floripa ou Ilha da Magia, como também é conhecida a capital catarinense
Arquivo NippoBrasil - Edição 231
• Conheça São Paulo de Metrô
Arquivo NippoBrasil - Edição 225
• Belém: capital da fé
Arquivo NippoBrasil - Edição 224
• Litoral norte
Arquivo NippoBrasil - Edição 223
• Região dos Lagos
Arquivo NippoBrasil - Edição 221
• Paraty: diversão para toda família
Arquivo NippoBrasil - Edição 219
• Circuito Histórico de Minas Gerais
Arquivo NippoBrasil - Edição 218
• Atibaia
Arquivo NippoBrasil - Edição 217
• Foz do Iguaçu: Beleza dividida
Arquivo NippoBrasil - Edição 215
• Divirta-se nos arredores de São Paulo
Arquivo NippoBrasil - Edição 212
• Um passeio nas alturas da Serra da Mantiqueira
Arquivo NippoBrasil - Edição 210
• Onsens: Estâncias termais que garantem relaxamento e diversão
Arquivo NippoBrasil - Edição 209
• Ilha Grande
Arquivo NippoBrasil - Edição 207
• Poços de Caldas: O santuário da paz
Arquivo NippoBrasil - Edição 206
• Circuito das águas mineiro
Arquivo NippoBrasil - Edição 204
• Redescobrindo o Litoral Sul de SP
Arquivo NippoBrasil - Edição 203
• Serras Gaúchas
Arquivo NippoBrasil - Edição 201
• Socorro abre a porteira para o turismo
Arquivo NippoBrasil - Edição 200
• Circuito das águas
Arquivo NippoBrasil - Edição 198
• Santos: Muito além do Jardim
Arquivo NippoBrasil - Edição 192
• Maranhão, o segredo do Brasil
Arquivo NippoBrasil - Edição 190
• Histórias do Grande Sertão Veredas em Minas Gerais
Arquivo NippoBrasil - Edição 188
• Turismo ecológico no Rio Grande do Norte
Arquivo NippoBrasil - Edição 184
• Península de Maraú: uma delícia baiana
Arquivo NippoBrasil - Edição 180
• Pirenópolis, um pedaço do Cerrado Brasileiro

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2019 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados

334 usuários online