Portal NippoBrasil - OnLine - 19 anos
Segunda-feira, 18 de novembro de 2019 - 8h22
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPORTES
Copa 2014
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-
Arquivo NippoBrasil - Edição 071 - 21 a 27 de setembro de 2000
 
Ilha Grande - Angra dos Reis

BELEZA - Ilha é roteiro obrigatório para quem gosta de mergulho

(Fotos: Reprodução / Divulgação)

Desfrute das belezas desta ilha, considerada um dos 14 paraísos de ilhas do mundo (Revista Viagem)!!! Um dos melhores pontos de mergulho do Brasil (perdendo apenas para Fernando de Noronha e Abrolhos). E tenha a comodidade de não se preocupar com o relógio. Hospede-se em pousadas charmosas com atendimento personalizado e sinta-se como se estivesse em casa!

Com extensão de 174 km², recoberta por exuberante vegetação de floresta tropical, ostentando uma rica flora e fauna nativa, está legalmente preservada por lei de proteção ambiental. O ponto culminante é a Pedra D’água, com 1.037m de altitude, porém, o mais interessante é o Pico do Papagaio (980m), devido a forma que originou o nome. O interior da Ilha Grande está totalmente tomado por floresta tropical, densa e exuberante, sendo ocupado em grande parte pelo Parque Estadual da Ilha Grande e pela Reserva Biológica da Praia do Sul. O tráfego de automóveis e a prática de camping selvagem são proibidos.

A Ilha Grande está cercada por uma centena de maravilhosas praias e o seu folclore inclui histórias de tesouros enterrados por piratas, histórias essas reforçadas pela descoberta de um grande número de navios naufragados na baía que a cerca.

Aqui a natureza é um permanente convite à prática de esportes náuticos e aquáticos, bem como para longas caminhadas através de sua densa mata.

O principal núcleo urbano da Ilha, a Vila do Abraão, é dotado de infra-estrutura para atender as necessidades dos visitantes em termos de hospedagem e alimentação, bem como para o aluguel de barcos e equipamentos de pesca e de mergulho.


Histórico
Descoberta pelo navegador André Gonçalves, em 1502, foi incluída nas terras da Capitania de São Vicente em 1532. Inicialmente habitada pelos Índios Tupinambás, foi durante muito tempo visitada pela pirataria francesa, inglesa e holandesa, em suas rotas para a Bacia do Prata.

Em meados do século XVI, começa uma longa guerra entre portugueses, franceses e os índios Tamoios, que retardou sua colonização por mais de meio século.

Até a metade do século XVIII prestou-se basicamente para a extração de suas madeiras de lei, usadas na construção de navios portugueses. Mais tarde, com a descoberta de ouro nas “minas gerais” a região praticamente se esvaziou. Somente em 1803 o povoado consegue obter identidade jurídica, elevando-se à categoria de Freguesia, de Santana da Ilha Grande de Fora. Tornou-se um famoso entreposto do tráfico ilegal de escravos até a abolição da escravatura em 1888.

Somente após proclamada a República, em 1891, é que foram criados os dois primeiros distritos: Abraão e Sítio Forte, hoje Araçatiba.


Dicas
• Para quem gosta de mergulho, sugerimos levar snorkel.
• Para quem gosta de caminhada, levar tênis, pois a Ilha Grande possui várias trilhas interessantes.
• Levar repelente.

Trilhas e Praias

 

Abraão, Pico do Papagaio
Esta é a trilha mais difícil e é a que permite deslumbrar uma das mais belas vistas da Ilha Grande. A caminhada até o topo do Pico do Papagaio (980m de altura) dura aproximadamente 3h30, é imprescindível o acompanhamento de um guia, aconselha-se acampar por lá, pernoitar, e retornar apenas no dia seguinte.
Acesso: É fundamental a presença de um guia.

Ilha do Caxadaço & Dois Rios
Esta trilha percorre o mesmo caminho dos veículos que levavam os detentos ao antigo presídio. Em duas horas de caminhada chega-se a Vila Dois Rios. A vila é pequena, mas muito acolhedora e simpática, de cada lado da Praia dos Dois Rios existem dois rios (por isso o nome do lugar). A caminhada desta Vila até a Praia do Caxadaço dura 40 min. permitindo deslumbrar uma praia de beleza única pois fica localizada em uma pequena enseada. No local é possível acampar para retornar no dia seguinte.
Acesso : Seguir a estrada em direção ao Antigo Presídio. Aconselhável o acompanhamento de um guia.

Trilha da Parnaioca
Esta trilha dá acesso a Praia da Parnaioca. A duração desta caminhada é de aproximadamente 5h30.
Acesso: Indispensável o acompanhamento de um guia.

Igreja de Santana
Situada em uma pequena península da Ilha Grande, foi construída em um outeiro, sobre adro retangular, sustentado por muros de arrimo, com a fachada frontal voltada para a Praia da Freguesia do Santana.
Erguida em 1796 para atender os habitantes da região, possui fachadas de linhas simples, sem ornamentos expressivos. Bem conservada exteriormente, constitui-se no mais importante monumento religioso da Ilha Grande
A Festa de Santana é realizada no dia 20 de Janeiro.
Localização: Ponta da Maria Ubalda / Saco da Freguesia.
Acesso: Por mar, saindo do cais Santa Luzia em Angra dos Reis ou na Vila do Abraão. Visitação Turística: Somente externa.

Parque Estadual da Ilha Grande
Criado em 28 de Julho de 1971, teve sua implantação e utilização regulamentada em 25 de Agosto de 1978. O Parque foi criado para assegurar a preservação dos recursos naturais e o incentivo às atividades turísticas. Com 1/3 da área total da Ilha (56 hectares), é dominado pela Mata Atlântica e por um rica fauna. Entre os pontos de maior interesse turístico estão as Ruínas de Lazareto (Antiga Colônia Penal Cândido Mendes), na Praia do Lazareto. O seu interior é desabitado, e tem como único ponto de penetração a estrada de terra, que liga a Vila do Abraão à Colônia Penal de Dois Rios. Área propícia a caminhadas e à prática de montanhismo.
Localização: Sudoeste da Ilha Grande / Abraão.
Acesso: pela Vila do Abraão.

Ruínas do Lazareto
Próximas à Vila do Abraão, encontram-se totalmente tomadas pela vegetação, com exceção da ala de palmeiras do acesso principal. Lazareto foi construído com a finalidade de ser um hospital de isolamento para abrigar viajantes portadores de doenças contagiosas, que vinham do exterior, antes de aportarem no Rio de Janeiro. Funcionou desde 1884, na antiga Fazenda do Holandês. D. Pedro II visitou-o duas vezes, em 1886 e em 1889, quando fez alguns desenhos da Ilha, até hoje conservados no Museu Imperial de Petrópolis.
O prédio serviu como hospital até 1910, quando abrigou tripulantes e passageiros do navio holandês Araguaia, atacados do “cólera morbus”. Foi depois transformado em Colônia Penal e, em 1932, lá ficaram presos os líderes do movimento constitucionalista de São Paulo. Em 1940 voltou a funcionar como presídio comum, até 1963, quando os presos foram transferidos para a Colônia Penal de Dois Rios, do outro lado da Ilha Grande. Nesta época o prédio foi demolido por ordem do Governador do Estado. As ruínas estão dentro do Parque Estadual da Ilha Grande.
Localização: Enseada do Abraão / Praia do Lazareto - Abraão.
Acesso: A pé, através de um caminho de terra que sai da Vila do Abraão.
Visitação Turística : Permanente.

Mansão do Morcego
Está localizada na entrada da Enseada do Abraão, junto à Praia do Morcego, e é circundada por densa mata tropical. Sua construção é retangular, com curvatura selada e telhado em 4 águas, que se aproximam nos quatro cantos dos beirais, como ornamento de tenda árabe. Guarda um rico acervo, que incluem peças de mobiliário, louças, estátuas, e objetos de arte religiosa, reunidos por Mário Peixoto, seu antigo proprietário. A lenda atribui a Juan Lorenzo, pirata espanhol, a construção da casa no início do século XVII, utilizando-se de madeira da região. Em 1942 foi tombada como patrimônio histórico.
Localização: Enseada do Abraão / Praia do Morcego - Abraão
Acesso: Por mar, saindo do cais Santa Luzia em Angra dos Reis ou na Vila do Abraão.
Visitação Turística: Trata-se de propriedade particular.

Praia de Lopes Mendes
Localizada ao Sudoeste da península oriental da Ilha Grande, em área de vegetação densa, com coqueiros e amendoeiras e com 3 km de extensão. É dividida em dois trechos: um, bem longo de praia selvagem, e outro, com ranchos de pescadores locais. Suas águas são verdes, transparentes e mornas, ótimas para prática de surf, e suas areias são finas e claras. Defronte está a Ilha de Jorge Grego, excelente para a prática da pesca submarina.
Localização : Enseada de Lopes Mendes/ Abraão.
Acesso: A partir da Vila do Abraão, por mar através dos passeios de escunas ou por terra através da Trilha de Lopes Mendes. (trilha que passa por três Praias, Praia Grande de Palmas, Praia dos Mangues e chegando finalmente a Praia de Lopes Mendes, esta última muito freqüentada por surfistas. Esta trilha permite deslumbrar bem as belas praias e enseadas de Ilha Grande. Trilha com diversas subidas e descidas, sua duração é de 2h e 30min.)

Praia Grande de Palmas
Mais conhecida como Palmas, está localizada na parte oeste da Enseada de Palmas, circundada por palmeiras, quaresmeiras e amendoeiras. Sua extensão é de 600 m, e suas águas são verdes, transparentes e mornas com areias grossas e claras. Local com um antigo núcleo de pescadores, com construções do final do século XIX. No local existem 3 campings e a área é propícia à pesca de tainhas e robalos. Ligada por trilhas, com o Saco das Palmas e a Praia Lopes Mendes, à direita, e com a Vila do Abraão, à esquerda.
Localização: Enseada das Palmas / Abraão.
Acesso: Por trilha a partir da Vila do Abraão (ver Trilha de Lopes Mendes), ou por mar, saindo do cais Santa Luzia em Angra dos Reis ou da Vila do Abraão.

Saco do Céu
De margens alagadiças, com vegetação típica de manguezais, sobressaem-se as altas encostas de seu entorno, recobertas por densa vegetação. Suas águas são verdes, transparentes, mornas e tranqüilas, com profundidade média de 6m. Do seu interior avista-se o Pico da Pedra d’água, com 1.037 m de altitude, ponto culminante da Ilha. Na sua entrada existem duas pequenas praias particulares. Ao fundo está o Porto do Nóbrega, com uma ponte de atracação, a Igreja São Cosme e Damião e uma colônia de pescadores. É fundeadouro recomendado para embarcações de pequeno calado e muito usado para pernoitar.
Localização: Ao fundo da Enseada da Estrela / Abraão.

Lagoa Azul
Na verdade não é uma Lagoa mas sim um Arquipélago, onde é propício para a prática de mergulho, sua águas são claras e azuis. Neste local existem diversas formações de corais, onde é possível mergulhar apenas de Snorkel. Suas águas são geladas mas não há quem não resista a dar um mergulho nestas águas claras e cercado por peixes.
Acesso: Através de Barco, ou pelos passeios de escunas que partem da Vila do Abraão.

 Arquivo - Turismo Brasil
Arquivo NippoBrasil - Edição 252
• Socorro oferece diversão sem parar aos turistas
Arquivo NippoBrasil - Edição 251
• Serra Negra: saúde e diversão para toda a família
Arquivo NippoBrasil - Edição 250
• Brotas: aventura, natureza e descanso
Arquivo NippoBrasil - Edição 249
• Caldas Novas é quente
Arquivo NippoBrasil - Edição 248
• Foz do Iguaçu: natureza, tecnologia e história
Arquivo NippoBrasil - Edição 246
• Pantanal
Arquivo NippoBrasil - Edição 245
• Salvador
Arquivo NippoBrasil - Edição 241
• Camboriú
Arquivo NippoBrasil - Edição 238
• Adrenalina total!!!
Arquivo NippoBrasil - Edição 233
• Floripa ou Ilha da Magia, como também é conhecida a capital catarinense
Arquivo NippoBrasil - Edição 231
• Conheça São Paulo de Metrô
Arquivo NippoBrasil - Edição 225
• Belém: capital da fé
Arquivo NippoBrasil - Edição 224
• Litoral norte
Arquivo NippoBrasil - Edição 223
• Região dos Lagos
Arquivo NippoBrasil - Edição 221
• Paraty: diversão para toda família
Arquivo NippoBrasil - Edição 219
• Circuito Histórico de Minas Gerais
Arquivo NippoBrasil - Edição 218
• Atibaia
Arquivo NippoBrasil - Edição 217
• Foz do Iguaçu: Beleza dividida
Arquivo NippoBrasil - Edição 215
• Divirta-se nos arredores de São Paulo
Arquivo NippoBrasil - Edição 212
• Um passeio nas alturas da Serra da Mantiqueira
Arquivo NippoBrasil - Edição 210
• Onsens: Estâncias termais que garantem relaxamento e diversão
Arquivo NippoBrasil - Edição 209
• Ilha Grande
Arquivo NippoBrasil - Edição 207
• Poços de Caldas: O santuário da paz
Arquivo NippoBrasil - Edição 206
• Circuito das águas mineiro
Arquivo NippoBrasil - Edição 204
• Redescobrindo o Litoral Sul de SP
Arquivo NippoBrasil - Edição 203
• Serras Gaúchas
Arquivo NippoBrasil - Edição 201
• Socorro abre a porteira para o turismo
Arquivo NippoBrasil - Edição 200
• Circuito das águas
Arquivo NippoBrasil - Edição 198
• Santos: Muito além do Jardim
Arquivo NippoBrasil - Edição 192
• Maranhão, o segredo do Brasil
Arquivo NippoBrasil - Edição 190
• Histórias do Grande Sertão Veredas em Minas Gerais
Arquivo NippoBrasil - Edição 188
• Turismo ecológico no Rio Grande do Norte
Arquivo NippoBrasil - Edição 184
• Península de Maraú: uma delícia baiana
Arquivo NippoBrasil - Edição 180
• Pirenópolis, um pedaço do Cerrado Brasileiro

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2019 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados

120 usuários online