Portal NippoBrasil - OnLine - 17 anos
Terça-feira, 17 de setembro de 2019 - 18h20
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPORTES
Copa 2014
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-
Arquivo NippoBrasil - Edição 043 - 10 a 16 de março de 2000
 
Os encantos naturais e culturais de Yamanashi

Vista do Monte Fuji de Otsuki a caminho do Fujikyu Highland

(Fotos: Divulgação)


As tradicionais uvas de Yamanashi

Literalmente cercada por montanhas, a província de Yamanashi, no centro da ilha principal do Japão, Honshu, é a “meca” dos turistas devido à beleza de suas paisagens. Ao sul da província está o Monte Fuji, cercado pelos cinco lagos (Kawaguchi-ko, Yamanaka-ko, Sai-ko, Shoji-ko e Motosu-ko) conhecidos como Fuji Goko. A oeste está a cadeia de montanhas dos Alpes Japoneses, encontrando-se com os montes Yatsugate ao norte e a cadeia de Chichibu-Tama a leste. Um quarto de todo o território de Yamanashi, que no total chega a cerca de 4 mil quilômetros quadrados, é ocupado por diversos parques nacionais que preservam quase intactas as belezas naturais da região.

Partindo de Tóquio, por trem, utilize a linha Chuo, da JR, que dá acesso à cidade de Kofu, capital da província. Ao lado da estação, pela saída sul, o turista se depara com a estátua de Takeda Shingen, um grande samurai do século 14, que ficou conhecido e ganhou notoriedade pelas batalhas que travou, conquistando extensas áreas no território japonês. Ruínas da antiga casa da família Takeda podem ser visitadas onde hoje se localiza o Takeda Jinja, a 10 minutos de ônibus da estação de Kofu, saída norte, linha Sekisuiji. Parte dessas ruínas foram especialmente reconstruídas a partir de 1519 devido ao seu valor histórico.

Também partindo da estação de Kofu, saída sul, plataforma 6, linha Ashitasu ou Nirazaki, em um percurso de 20 minutos de ônibus, estão os museus de arte e literatura. Mantidos pelo governo da província, o Museu de Arte apresenta um acervo de 400 obras de artistas japoneses e estrangeiros que mostram a arte desde o século 14 até os dias atuais.

Próximo ao Museu de Arte está o Museu de Literatura, instalado em um edifício de linhas modernas onde o visitante poderá conhecer as obras literárias japonesas desde o século 15. Para os apreciadores desse tipo de cultura estão à disposição pergaminhos e livros originais dos maiores nomes da literatura nipônica e um programa em vídeo explicando de forma didática as obras que integram o acervo.

Outro museu, o de Arqueologia, está a 40 minutos de ônibus, saindo da estação de Kofu pelo lado sul, plataforma 8, linha Nakamichi Toyotomi . Localizado no Fudoki-no-oka (reserva de herança nacional) é específico na antropologia dos primeiros habitantes do Japão. Em seu acervo constam utensílios domésticos, peças ornamentais, armas e moedas de tempos feudais. Fora do museu podem ser vistos canteiros arqueológicos, reconstrução de antigas cabanas e principalmente o local onde está a mais antiga cripta japonesa, que pertenceu a um nobre da região.

 

Museu de Literatura: preciosidades da cultura
 

Para aqueles que curtem o contato com a natureza, um programa imperdível é o passeio pelo Parque Nacional de Shosenkyo, a cerca de uma hora de ônibus da estação de Kofu. Os ônibus partem da plataforma 3, Green Line Shosenkyo. De carro é possível ir pela rodovia Shosenkyo Line, num percurso de 17 km. Um desfiladeiro, de 4 km de extensão, cercado por montanhas e cortado pelo rio Ara, que pode ser percorrido em uma charrete puxada a cavalo, é um programa bastante agradável. Pelo trajeto é cobrada uma taxa de mil ienes.

São inesquecíveis as paisagens do local, onde o verde contrasta com a tonalidade bege das rochas e o cristalino das águas, que correm sobre pedras e pequenas quedas d’água. Outro atrativo do parque é o comércio de comidas típicas da região, como o houtou, semelhante ao udon, mas com abundância de verdura e carne. O prato surgiu há cerca de 500 anos e tornou-se muito popular, principalmente porque as terras da região não são próprias para o cultivo do arroz.

Yamanashi também pode ser considerada a capital das frutas, como pêssego, uva e pêra. A região que também provoca o deslumbramento dos apreciadores da natureza é Izumigo, cidade de Kobu-chizawa, na divisa com a província de Nagano, distante 42 km de Kofu. Para chegar lá utilize a linha Chuo, da JR. Izumigo é muito conhecida pelos esportes como golfe, equitação e esqui no inverno, assim como pelos charmosos chalés que despontam em meio a bosques e campos de gramínea que podem ser alugados a partir de 20 mil ienes a diária. O ar das montanhas, principalmente no outono e no inverno, com convidativas lareiras, proporciona a Izumigo um ambiente de extrema tranqüilidade e aconchego.

Para os adeptos de parques de diversão, o Fujikyu Highland, na cidade de Fujiyoshida, é uma parada quase que obrigatória. Para chegar ao parque deve-se ir de trem pelo Chuo Line à estação de Otsuki e depois até Fujikyu Highland pelo Fujikyu Line, da JR. De automóvel, o mais indicado é ir pela rodovia expressa Chuo até Otsuki e prosseguir, pela mesma rodovia, até Kawaguchi-ko.

No interior do parque, além dos tradicionais brinquedos como a assustadora montanha russa - uma das mais altas e velozes do Japão- é possível, em poucos minutos, escalar o Monte Fuji, reproduzido em forma de maquete que inclui trilhas, pedras vulcânicas e vegetação característica. Em dias ensolarados e sem nuvens o Monte Fuji original serve de pano de fundo para o parque e é uma visão imperdível do alto da roda gigante ou entre o vaivém do carrossel.

 

Montanha russa do Fujikyu, uma das mais altas e velozes do Japão
 Arquivo - Turismo Japão
ARQUIVO - EDIÇÃO 254
• Templo Horyuji
ARQUIVO - EDIÇÃO 247
• Niigata
ARQUIVO - EDIÇÃO 244
• Monte Fuji
ARQUIVO - EDIÇÃO 242
• Okinawa
ARQUIVO - EDIÇÃO 240
• Hokuriku
ARQUIVO - EDIÇÃO 236
• Nikko: a cidade dos santuários
ARQUIVO - EDIÇÃO 232
• Kamakura
ARQUIVO - EDIÇÃO 229
• Yamanashi
ARQUIVO - EDIÇÃO 227
• Okayama
ARQUIVO - EDIÇÃO 222
• Hakone
ARQUIVO - EDIÇÃO 220
• Osaka
ARQUIVO - EDIÇÃO 216
• Iwate
ARQUIVO - EDIÇÃO 214
• Ilha de Sado
ARQUIVO - EDIÇÃO 211
• Hokkaido - Tudo começou em Naka Furano
ARQUIVO - EDIÇÃO 208
• Kansai - Redescobrindo as belezas da região
ARQUIVO - EDIÇÃO 205
• Soka
ARQUIVO - EDIÇÃO 202
• Hirakata
ARQUIVO - EDIÇÃO 199
• Niigata
ARQUIVO - EDIÇÃO 197
• Tohoku
ARQUIVO - EDIÇÃO 195
• Tóquio e arredores: belezas que encantam
ARQUIVO - EDIÇÃO 193
• Chugoku-Shigoku: O coração do Japão
ARQUIVO - EDIÇÃO 191
• Okinawa: Uma região de paraísos subtropicais
ARQUIVO - EDIÇÃO 189
• Nagasaki - O berço cristão japonês
ARQUIVO - EDIÇÃO 187
• Shimabara
ARQUIVO - EDIÇÃO 185
• Tottori: O Saara japonês
ARQUIVO - EDIÇÃO 183
• Matsue - A herança intacta dos samurais
ARQUIVO - EDIÇÃO 181
• Chiba conserva folclore cultural da região
ARQUIVO - EDIÇÃO 179
• Okutama: Refrescando-se nas montanhas
ARQUIVO - EDIÇÃO 177
• Mito: A cidade de um dos mais belos jardins japoneses
ARQUIVO - EDIÇÃO 175
• Izu - O paraíso das águas
ARQUIVO - EDIÇÃO 173
• Kyoto: Cenário de três mil templos
ARQUIVO - EDIÇÃO 171
• Chindon-ya
ARQUIVO - EDIÇÃO 169
• Toyama no Kusuri
ARQUIVO - EDIÇÃO 167
• Sensooji o templo do Carnaval
ARQUIVO - EDIÇÃO 165
• Odaiba: a face futurista de Tóquio
ARQUIVO - EDIÇÃO 163
• Todaiji: o templo do grande Buda de Nara
ARQUIVO - EDIÇÃO 161
• Ryuhyoo: O gelo navegante de Hokkaido
ARQUIVO - EDIÇÃO 159
• Hokkaido, o inverno mais gelado do Japão
ARQUIVO - EDIÇÃO 134
• Yamanashi:
A Terra dos Lagos
ARQUIVO - EDIÇÃO 130
• Okayama
ARQUIVO - EDIÇÃO 128
• Osaka
ARQUIVO - EDIÇÃO 126
• Okinawa: Ryukyu, Soberano dos Mares do Sul
ARQUIVO - EDIÇÃO 124
• Kamakura
ARQUIVO - EDIÇÃO 122
• Monte Fuji e os Cinco Lagos

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2019 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados

226 usuários online