Portal NippoBrasil - OnLine - 17 anos
Domingo, 24 de junho de 2018 - 7h44
  Empregos no Japão

  Busca
 
  Seções NippoBrasil
   Comunidade
   Opinião
   Circuito
   Notícias
   Agenda
   Dekassegui
   Entrevistas
   Especial
-
  Variedades
   Aula de Japonês
   Automóveis
   Artesanato
   Beleza
   Bichos
   Budô
   Comidas do Japão
   Cultura-Tradicional
   Culinária
   Haicai
   História do Japão
   Horóscopo
   Lendas do Japão
   Mangá
   Pesca
   Saúde
   Turismo-Brasil
   Turismo-Japão
-
  Esportes
   Copa do Mundo 2014
   Copa das
 Confederações 2013
-
  Especiais
   Imigração Japonesa
   120 anos de Amizade  Japão-Brasil
   Bomba de Hiroshima
   Japan House
   Festival do Japão 2016
-
 Colunas
   Conversando de RH
   Mensagens
     Roberto Shinyashiki
-
 Veja mais  Classificados
   Econômico
   Empregos no Brasil
   Guia Profissionais
   Imóveis
   Oportunidades
   Ponto de Encontro
-
  Interatividade
   Fale com a Redação
-
  Institucional
   Quem somos


18/04/2014 - Dekassegui - NippoBrasil

Brasil discutirá apoio aos dekasseguis que retornaram

(Fonte: IPCdigital.com)

O Brasil vai discutir na próxima conferência nacional de migrações e refúgio, no final de maio, uma política para os retornados.

As propostas dos brasileiros que vivem no Japão foram reunidas durante três plenárias realizadas pelos consulados brasileiros em Nagoya, Tóquio e Hamamatsu.

O apoio aos dekasseguis retornados já é oferecido, há alguns anos, por duas entidades com sede em São Paulo. Estender estes serviços para o restante do Brasil é um dos pedidos de quem veio de mais longe.

"Como muitos retornam para outros estados brasileiros, a ideia é que haja mais centros: de apoio psicológico para crianças que voltam às escolas brasileiras, de iniciativas de empreendedorismo ou para a busca de empregos. Tendo como base essas iniciativas que tiveram êxito, a ideia é replicá-las em outros lugares para atender os brasileiros que estão voltando em número cada vez maior”, afirmou Paulo Batalha da Embaixada do Brasil em Tóquio.

O Ciate (Centro de Informação e Apoio ao Trabalhador no Exterior) foi criado no início do movimento dekassegui para ajudar aqueles que pretendiam trabalhar no Japão. É uma entidade mantida com recursos japoneses. A comunidade de dekassegui no Japão chegou a ter mais de 300 mil pessoas. Hoje, não passa de 180 mil.

“Como o objeto social do Ciate é dar apoio para aqueles que vão ao Japão, então participamos da criação do Niatre (Núcleo de Informação e Apoio aos Retornados), que tem o apoio do governo brasileiro. Trabalhamos em conjunto”. Relata o presidente do Ciate, Masato Ninomiya.

Niatre

Uma das atividades do Niatre é oferecer bolsa de estudos para filhos de ex-dekasseguis. Cursos e palestras também estão na agenda do núcleo. Alguns encontros, que são realizados em São Paulo, reuniram empresas e ex-dekasseguis em busca de emprego.

“Alguns retornados não estão acostumados a trabalhar com o público, como no varejo, por exemplo, porque muitos trabalhavam em linhas de fábrica no Japão, então isso traz dificuldades de aproximação com o público. Mas eles poderiam se preparar neste sentido de atendimento ao público”, comentou Reginaldo Paulista.

Reginaldo viveu mais de vinte anos no Japão. Trabalhou em fábricas e se dedicou ao estudo do idioma japonês, este diferencial o ajudou a conquistar a gerência geral da empresa Daiso do Brasil. Outros podem ter a mesma sorte, mas há muitas barreiras que o brasileiro enfrenta ao retornar ao país natal.

Falta de emprego no mercado

A falta de emprego é apenas um dos problemas enfrentados pelos retornados. “Tem alguns diferenciais que são destacados no currículo, como o idioma estrangeiro, falar nihongo é um diferencial bom”, recomenda Daniel Kanashiro, da Consultoria Sol Nascente.

A idade também pesa na busca de uma vaga.

“Essas pessoas que voltaram do Japão, não só tem conhecimento da língua e dos costumes japoneses, como eventualmente tem conhecimento do processo de uma fábrica, então são pessoas bastante úteis para as empresas japonesas”, afirma Daniel Kanashiro.

“O importante é mencionar essa experiência para cada empresa e oportunidade que aparecer. Deve-se saber traduzir essa bagagem de conhecimento e experiência em algo que possa resolver um problema específico da empresa, de uma área, ou de uma situação”, aconselha Marcos Minoru Akatsugawa da Ikesaki cosméticos.

Readaptação na terra natal

Com muito esforço e tempo, os retornados vão reaprendendo a viver no Brasil.

“Medo sim, inclusive estava trabalhando em um supermercado e, no dia das mães, fui assaltada. Depois queria sair de lá, e graças a Deus estou em outro serviço que não precisa atender o público, só que, andando na rua, fui assaltada de novo”, conta Tereza Yasuko Yoshike, que morou 20 anos no Japão.

Já Camila Yuri Belmonte, que também morou 20 anos no Japão, revela outras dificuldades: “Está sendo bem difícil, não é fácil, entrei em depressão”.

Wagner Leite da Silva assume que precisa se adaptar ao ritmo brasileiro mais uma vez. “Estou tentando voltar a ser brasileiro. Com o tempo, agente acaba se esquecendo da própria cultura”.





Importante:
O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

  Decasségui
13/06/2018
• BNDES lançou projeto para incentivar o setor de franquias
25/05/2018
• SMTE oferecerá serviços gratuitos no Integra Jabaquara em SP
10/05/2018
• SMTE participará da Semana do MEI 2018
06/04/2018
• Oficina gratuita sobre empreendedorismo é oferecida pelo CATe de São Paulo
04/04/2018
• Secretaria Municipal do Trabalho fará formalização de MEIs da capital paulista na Feira do Empreendedor
07/03/2018
• Secretaria Municipal do Trabalho promove o empreendedorismo feminino em SP
23/02/2018
• Ao marcar viagem de avião, fique atento aos seus direitos em caso de atraso ou cancelamento de voo no aeroporto
16/02/2018
• Visto para brasileiros yonseis pode sair ainda em 2018
11/02/2018
• Fundação Japão em São Paulo abre uma vaga para funcionário
14/12/2017
• Banco Itaú Unibanco lança transferência internacional via aplicativo
30/11/2017
• Oficinas orientam trabalhadores que buscam emprego
16/11/2017
• Fundação Paulistana abre inscrições para mais de 800 vagas em cursos de capacitação profissional
01/11/2017
• Cronograma de oficinas de novembro no Centro de Apoio ao Trabalhador
03/10/2017
• Ciate promove simpósio sobre "Trajetórias e o Futuro da Empregabilidade no Japão"
21/09/2017
• Feira de Educação em Tóquio para brasileiros acontece em outubro
31/08/2017
• Honda abre inscrições para o Programa de Trainees 2018
29/08/2017
• Educação de crianças brasileiras no Japão e visto aos yonseis serão temas de Audiência Pública solicitada por Ihoshi na Câmara
23/08/2017
• Estão abertas as inscrições para o Programa de Estágio Honda 2018
25/07/2017
• Proposta do deputado japonês sobre visto a yonseis poderá ser apreciada ainda em novembro no Japão
21/07/2017
• O que é visto de Working Holiday?
18/07/2017
• Deputado japonês fala sobre concessão de visto aos yonseis
05/07/2017
• CATe oferece oficinas para quem busca recolocação no mercado de trabalho
03/04/2017
• Cartilha auxilia MEI a preencher Declaração do IRPF 2017
03/03/2017
• Palestra na USP com professor da Faculdade de Direito de Tóquio sobre Previdência Social no Japão
08/02/2017
• Feira do Empreendedor - Visitante poderá se formalizar como MEI na feira

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2018 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados - www.nippo.com.br

105 usuários online


Redação: editor@nippo.com.br

Diretoria: diretoria@nippo.com.br

Vendas: anuncie@nippo.com.br

Tel: (11) 9 5371 4019 (TIM)

Mais contatos e envio de releases