Portal NippoBrasil - OnLine - 17 anos
Quinta-feira, 22 de junho de 2017 - 19h05
  Empregos no Japão

  Busca
 
  Seções NippoBrasil
   Comunidade
   Opinião
   Circuito
   Notícias
   Agenda
   Dekassegui
   Entrevistas
   Especial
-
  Variedades
   Aula de Japonês
   Automóveis
   Artesanato
   Beleza
   Bichos
   Budô
   Cultura-Tradicional
   Culinária
   Haicai
   História do Japão
   Horóscopo
   Lendas do Japão
   Mangá
   Pesca
   Saúde
   Turismo-Brasil
   Turismo-Japão
-
  Esportes
   Copa do Mundo 2014
   Copa das
 Confederações 2013
-
  Especiais
   Imigração Japonesa
   120 anos de Amizade  Japão-Brasil
   Bomba de Hiroshima
   Japan House
   Festival do Japão 2016
-
 Colunas
   Conversando de RH
   Mensagens
     Roberto Shinyashiki
-
 Veja mais  Classificados
   Econômico
   Empregos no Brasil
   Guia Profissionais
   Imóveis
   Oportunidades
   Ponto de Encontro
-
  Interatividade
   Fale com a Redação
-
  Institucional
   Quem somos


31/08/2015 - Dekassegui - NippoBrasil
 

Chegou a época de pesquisar o arubaito
(ou o trabalho temporário) no Japão

Arubaito, ou simplesmente baito, palavra que tem origem na língua alemã (do termo arbeit, "trabalho"), significa, no Japão, emprego temporário, ou trabalho de meio período (part-time job).

Com a obtenção mais facilitada do visto de permanência e trabalho no Japão pelos nipo-brasileiros, centenas de jovens universitários descendentes têm procurado oportunidades de arubaito no Japão no período de férias. A vantagem do arubaito é que o trabalho abrange o período de recesso escolar no Brasil, entre dezembro e fevereiro, e, sendo temporário, não há data certa para começar nem terminar - esta escolha fica a critério do estudante. Outra vantagem do arubaito é a possibilidade de conhecer o país mais detalhadamente, sem precisar desembolsar muito, pois fazer turismo no Japão sai caro para os brasileiros.

O serviço

Trabalhos temporários são encontrados em todos os setores do Japão, bastante no segmento de serviços, como atendentes de lojas e restaurantes, operadores de caixa, garçons, panfleteiros, entre outras funções. Entretanto, para os estrangeiros, por questão de idioma, os serviços temporários são predominantemente realizados em chão de fábrica e supervisionados por outros estrangeiros residentes da mesma nacionalidade. Dessa forma, não há necessidade de o trabalhador dominar a língua japonesa, basta ter disposição para trabalhar muito. Os serviços são manuais, repetitivos, têm ritmos intensos e com muitas horas extras.

Os ganhos diários do arubaito não são altos, e o trabalho é exaustivo, com longas jornadas em chão de fábrica. Contudo, é possível, neste curto intervalo de meses, pagar as despesas de viagem e as despesas de manutenção. Segundo o intermediador Hideto Miyazaki: "A maioria dos estudantes paga as despesas da viagem no Brasil e, assim, tudo o que eles ganham no Japão é utilizado para o sustento mensal, passeios e compras de eletrônicos. Esses jovens, além de conhecerem a dura realidade do trabalho em fábricas, vão conhecer o país de seus ancestrais sem gastar muito".

Qual é a melhor época de procurar arubaito?
A parte mais complicada para viajar ao Japão é a emissão do visto de trabalho. O tempo entre receber o koseki, ou registro da família japonesa atualizado (documento que comprova o grau de parentesco japonês), e esperar a saída do visto é em torno de um a três meses. É aconselhável procurar as agências especializadas já a partir do mês de agosto ou setembro, até mesmo para fazer pesquisas e comparações.

Quem pode fazer arubaito no Japão?
O Japão só permite emissão de visto de permanência e trabalho até a terceira geração (netos de japoneses), ou seja, para os sanseis (termo correspondente na língua japonesa). Infelizmente, os yonseis - ou a quarta geração (bisnetos de japoneses), que hoje está muito presente entre os jovens universitários nipo-brasileiros - não podem trabalhar no Japão, nem em regime de arubaito, tampouco os brasileiros sem descendência nipônica.

Para aqueles que se enquadram nesta última categoria e que realmente desejam trabalhar no Japão, a alternativa é buscar vagas em empresas japonesas por meio de agências de recursos humanos internacionais. Geralmente, o perfil solicitado é de graduados e pós-graduados na área de atuação das respectivas vagas.



  Decasségui
03/04/2017
• Cartilha auxilia MEI a preencher Declaração do IRPF 2017
03/03/2017
• Palestra na USP com professor da Faculdade de Direito de Tóquio sobre Previdência Social no Japão
08/02/2017
• Feira do Empreendedor - Visitante poderá se formalizar como MEI na feira
07/02/2017
• CIATE oferece bolsa de estudos para decasséguis
30/12/2016
• CATe divulga cronograma de oficinas de janeiro para trabalhadores da capital paulista
14/12/2016
• ANAC aprova novas regras para passageiros de transportes aéreos
01/11/2016
• Simpósio sobre Previdência Social Brasil-Japão
12/07/2016
• Casas de idosos para atender os brasileiros no Japão
11/06/2016
• Representantes de franquias japonesas participarão da 25ª ABF Expo Franchising em São Paulo
11/05/2016
• Representante da empresa Fast Foods Nagoya do Japão em SP
01/03/2016
• Palestras no Ciate para brasileiros que retornam do Japão – programa de Março
19/02/2016
• DKSG - O Caminho de Volta - Livro sobre história de decasségui
17/02/2016
• Abertas inscrições para bolsas de estudo para decasségui no Brasil
27/01/2016
• Lançamento do livro "Dekassegui – A receita do enriquecimento"
30/09/2015
• Ciclo de palestras gratuitas no CIATE - Outubro
31/08/2015
• Chegou a época de pesquisar o arubaito (ou o trabalho temporário) no Japão
12/06/2015
• A Associação Internacional de Transporte Aéreo sugere padronizar tamanho de bagagem de mão
19/05/2015
• Aumenta a oferta de vagas de emprego no Japão em 2015
26/01/2015
• Japão inclui enfermeiros no programa de treinamento de estagiários técnicos estrangeiros
23/09/2014
• A Avance RH busca profissionais que dominam o idioma japonês no Brasil
26/05/2014
• Número de brasileiros presos no exterior aumenta 30% de 2011 a 2013
18/04/2014
• Brasil discutirá apoio aos Decasséguis que retornaram
25/03/2014
• Governo japonês considera aceitar mais imigrantes

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2017 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados - www.nippo.com.br

150 usuários online


Redação: editor@nippo.com.br

Diretoria: diretoria@nippo.com.br

Vendas: anuncie@nippo.com.br

Tel: (11) 9 5371 4019 (TIM)

Mais contatos e envio de releases