PORTAL NIPPOBRASIL ONLINE - 19 ANOS
-
Fale conosco: adm@nippo.com.br   
Terça-feira, 22 de agosto de 2017 - 2h14
DESTAQUES:
  Empregos no Japão

  Busca
 
  Seções NippoBrasil
   Comunidade
   Opinião
   Circuito
   Notícias
   Agenda
   Dekassegui
   Entrevistas
   Especial
-
  Variedades
   Aula de Japonês
   Automóveis
   Artesanato
   Beleza
   Bichos
   Budô
   Cultura-Tradicional
   Culinária
   Haicai
   História do Japão
   Horóscopo
   Lendas do Japão
   Mangá
   Pesca
   Saúde
   Turismo-Brasil
   Turismo-Japão
-
  Esportes
   Copa do Mundo 2014
   Copa das
 Confederações 2013
-
  Especiais
   Imigração Japonesa
   120 anos de Amizade  Japão-Brasil
   Bomba de Hiroshima
   Japan House
   Festival do Japão 2016
-
 Colunas
   Conversando de RH
   Mensagens
     Roberto Shinyashiki
-
 Veja mais  Classificados
   Econômico
   Empregos no Brasil
   Guia Profissionais
   Imóveis
   Oportunidades
   Ponto de Encontro
-
  Interatividade
   Fale com a Redação
-
  Institucional
   Quem somos


Caderno Pesca

Tucunaré, problema ou solução?
Espécie é boa alternativa de repovoamento de peixes; entretanto, há polêmicas sobre sua ação predadora
Espécie é favorecida pelas condições de sobrevivência oferecidas pelas represas, proliferando-se facilmente

(Texto: Ilton T. Nomura /Fotos: Arquivo Pessoal)

O tucunaré é um peixe originário das bacias Amazônica e do Araguaia-Tocantins e que invadiu a região centro-sul do país, hoje, presente em todo o Brasil. Pode-se dizer que existem mais de 15 espécies catalogadas, das quais o Açu, o Paca, o Azul, o Amarelo, o Borboleta e o Fogo são as mais conhecidas.

Com facilidade de adaptação em lagos e represas de águas tropicais com temperatura entre 20 e 28 graus, o tucunaré foi visto como uma das boas alternativas de repovoamento de peixes, principalmente nos rios, onde foram construídas barragens hidrelétricas, como os da bacia do Rio Paraná, onde encontramos as espécies azul e amarelo, atingindo cerca de 5 kg de peso máximo.

Nessas regiões, muitos peixes de piracema acabaram tendo o seu processo reprodutivo alterado, ou não conseguem mais desovar, fazendo com que a perpetuação de suas espécies fique comprometida.

As companhias que administram as usinas repovoam com peixes nativos esses lagos, a fim de reparar os danos causados, mas a pesca desses espécimes mudou muito nesse novo hábitat de águas paradas – a represa – e oferece melhores condições de sobrevivência a outros espécimes de peixe, como o tucunaré, a traíra, a corvina e o apaiari.

Nesse cenário, o tucunaré encontrou condições para se desenvolver e proliferar e, quando adulto, não encontra predadores senão o homem. Isso faz com que a sua população aumente e surjam polêmicas sobre o peixe e sua ação predadora.

O Vilão

Animal é alvo de críticas pela diminuição da pesca de outros peixes

Muitos pescadores locais culpam o tucunaré pela diminuição na pesca de outras espécies, como o dourado, a piapara, a piracanjuba entre outros peixes, porém lembramos que a principal vilã da diminuição dos estoques de pesca é a própria construção da barragem, que gerou mudanças no rio e no antigo hábitat desses espécimes.

Além disso, quem conhece o mínimo de pesca sabe que essas espécies dificilmente dividem o mesmo espaço na água.

Portanto, acredito que o tucunaré tenha vingado graças ao novo hábitat proporcionado pela construção da barragem hidrelétrica que represou o rio e, hoje, é uma boa solução para manter a represa com vida e a população ribeirinha com alimento abundante e de boa qualidade, pois sua carne é nobre e saudável.

O impacto ambiental causado pelo represamento do rio é muito complicado de ser amenizado e, muitas vezes, é mais fácil apresentar um culpado – o tucunaré – do que realizar os esforços necessários para equilibrar a fauna local novamente.

A própria legislação não prevê a proteção do peixe no período de defeso nas localidades de onde não é nativo, o que é uma verdadeira aberração, pois o tucunaré é responsável por grande parte da movimentação financeira das cidades que cercam essas represas.


Serviço:
Ilton Toshio Nomura é pescador esportivo, atua no ramo da pesca há 11 anos e dá assessoria técnica para pescadores iniciantes. Email: ilton@tucuna.com.br Site: www.tucuna.com.br
 Fotos dos Leitores


Vejas as fotos dos nossos pescadores
 Arquivo - Pesca
De encontro aos peixes gigantes...
Pesca e stress
Sinta a esportividade do Tucunaré em Panorama
Numa pescaria, o que vale é a AMIZADE...
Marlin-azul tem a primeira marcação eletrônica do Brasil
Conheça os peixes Apapá e o Pampo
Tucunaré, problema ou solução?
Dicas de Pescador
História de pescador
Mulheres na pesca - Sorte ou azar?
As estrelas do inverno
Mulheres nos pesque-pagues
Tambacus, brigadores indiscutíveis
Pescarias nos pesque-pague
Em busca dos tucunarés gigantes
Alto-mar: uma pescaria fascinante
Confira alguns nós mais utilizados nas pescarias
Embarcar numa excursão de pesca vale a pena?
Peixes de água doce
Cuidado com os peixes venenosos
Serviços diferenciais unem hotéis, pousadas e boas pescarias
Lições de pesca: um hobby que pode ser muito interessante
 Dicas
Dicas para pescaria
Dicas de pescador
Tralhas para pescar cabeçudas
Pescarias de inverno
Como fisgar Tucunarés com iscas artificiais
Dicas de Pescador
Equipamentos
Rabicho ou chicote
Molinetes
Em Serra da Mesa, grandes tucunarés
Bóias: Conheça alguns modelos principais e suas características
Linhas de pesca
Iscas naturais para uma boa pescaria
Iscas de fundo e metálicas
Iscas artificiais: pesca mais dinâmica
Como escolher a melhor vara de pesca?
Anzol: você sabe exatamente
como usá-lo?
A pesca de arremesso em praia
Saiba como manusear carretilhas
Seis dicas básicas para manter seu equipamento em ordem
Carretilhas x Molinetes
 
Mande a foto de sua pescaria. Logo teremos uma nova seção com as fotos de todos nossos pescadores.
E-mail: pesca@nippo.com.br

© Copyright 1992 - 2016 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados - www.nippo.com.br

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante.
Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

Sobre o Portal NippoBrasil | Fale com o Nippo